10 filmes obscuros sobre seitas

 

De forma geral, seita é um conceito utilizado para designar grupos que professem doutrina, ideologia, sistema político ou filosófico da correspondente doutrina ou sistemas dominantes. Informalmente, o termo pode ser utilizado para definir qualquer grupo organizado de pessoas que defendam as mesmas ideias ou tenham causas em comum.

Segundo o sociólogo e teólogo Peter L. Berger, seita seria a organização de um grupo contra um meio que consideram hostil ou descrente, que tende a se fechar em um corpo de doutrinas e passa a considerar o restante da sociedade como má ou pecadora. A saída do grupo pode acarretar diversos efeitos psicossociais em decorrência do sentimento de solidão, de autoculpabilização e da hostilidade advinda do grupo que se está deixando. 

Fazer parte de uma seita envolve uma série de sacrifícios que devem ser feitos em prol do “bem” maior e satisfação geral; sair dela pode ser ainda mais complicado, pois a imersão pregada por esses grupos gera uma extrema dependência física e emocional em seus participantes, muitas vezes incapazes de recuperar suas habilidades sociais após sair da seita.

O caráter enigmático das seitas, independente de sua vertente, é um tema que evoca a curiosidade do público: o culto ao desconhecido, a mobilização de diversos indivíduos em torno de um único objetivo e o misticismo envolvido nesse tipo de história renderam ótimos filmes ao longo dos anos, passando por diferentes gêneros, épocas e países. Os filmes listados a seguir usam as seitas como principal tema e exploram suas principais características, desde a formação, o modo de pensar de seus integrantes e as consequências psicológicas devastadoras que a imersão em uma seita pode exercer a longo prazo.

10 – Horror Hotel (1960)

Em 1962, uma mulher é acusada de bruxaria e de conspiração com entidades satânicas. Ela é torturada impiedosamente até que confesse seus crimes, sendo posteriormente amarrada e queimada viva. Enquanto as chamas tomam conta de seu corpo, ela jura vingança e joga uma maldição na cidade de Whitewood.

Centenas de anos depois, o professor Driscoll (Christopher Lee) recomenda a cidade como um dos melhores lugares para estudantes realizarem estudos sobre bruxaria. Os estudantes que chegam a Whitewood se hospedam no Ravens Inn Hotel, construído no exato lugar onde pessoas eram queimadas em séculos passados. Quando chega à noite, eles começam a desvendar os segredos e horrores escondidos nas entranhas do hotel, onde nenhuma pessoa de bom senso entraria se tivesse a intenção de continuar viva.

9 – Os Demônios (1971)

No ano de 1931, durante o violento regime católico que tomava conta da França, a madre-superiora Jeanne sofre uma possessão que faz com que ela tenha fantasias sexuais com o mais proeminente padre do vilarejo de Loudon, Urbain Grandier (Oliver Reed), resultando em um dos episódios mais sangrentos daquela era.

Os Demônios foi um filme bastante controverso em sua época de lançamento e ainda é visto por muitos como um filme perturbador devido à forma direta como trata um tema tão delicado. A história é baseada em eventos reais, mesmo que algumas pequenas alterações tenham sido feitas para torna-la ainda mais chocante. A atmosfera macabra e surreal do filme faz de Os Demônios um clássico obrigatório para os fãs do gênero de terror.

8 – De Olhos Bem Fechados (1999)

Bill Harford (Tom Cruise) é casado com a curadora de arte Alice (Nicole Kidman). Ambos vivem o casamento perfeito até que, logo após uma festa, Alice confessa que sentiu atração por outro homem no passado e que seria capaz de largar Bill e sua filha por ele. A confissão desnorteia o sujeito, que sai pelas ruas de Nova York assombrado com a imagem da mulher nos braços de outro e acaba em meio a uma reunião secreta em uma mansão afastada.

Assim como grande parte de sua filmografia, o último filme do aclamado diretor Stanley Kubrick (Laranja Mecânica, 2001: Uma Odisseia no Espaço) é baseado em um livro, desta vez no romance Dream Story, de 1926, escrito por Arthur Schnitzler. A narrativa se concentra em questões humanas como moralidade e sexualidade, sendo o sexo parte crucial para o desenvolvimento dos personagens. Stanley Kubrick foi definitivamente um dos diretores mais importantes da história do cinema e De Olhos Bem Fechados não deixa e desejar; direção primorosa e visuais fantásticos são qualidades indiscutíveis do filme.

7 – Martha Marcy May Marlene (2011)

Martha (Elizabeth Olsen) foi integrante de um culto e hoje tenta recomeçar a vida em companhia da família de sua irmã. Ela sofre constantemente com terríveis pesadelos, relacionados com a época em que era controlada pelo líder do culto. Sair da seita foi só o início de um processo de paranoia constante, já que Martha acredita ser vigiada o tempo todo pelos antigos colegas.

A história é ambientada no presente e é contada por meio de flashbacks que buscam esclarecer eventos do passado, cuja veracidade nunca é verdadeiramente comprovada – Martha se encontra em um estado psicológico tão abalado que suas memórias foram comprometidas pelas alucinações recorrentes que sofre. O filme não se concentra em explicar as motivações da seita ou a razão de Martha ter entrado nela; o foco é explorar o dano causado na protagonista, que nunca mais será a mesma após o trauma vivido.

6 – O Bebê de Rosemary (1968)

Baseado no livro de mesmo nome, O Bebê de Rosemary é um dos filmes mais importantes de Roman Polanski (Chinatown, O Pianista) e talvez o filme sobre seita mais famoso de todos os tempos. A história acompanha o Rosemary e Guy (Mia Farrow e John Cassavetes), um casal que acabou de se mudar para Nova York e encontra dificuldades em lidar com seus vizinhos excêntricos que se tornam cada vez mais invasivos.

Quando Rosemary engravida, as coisas começam a ficar cada vez mais macabras: mortes misteriosas começam a ocorrer, personagens ficando cegos sem nenhuma razão aparente, poções estranhas de uso duvidoso sendo confeccionadas pelos vizinhos e diversos outros eventos levam Rosemary a um pesadelo sem escapatória. Assim como o igualmente brilhante Repulsa ao Sexo (1966), o espectador é convidado a participar do mundo aterrorizante de Polanski onde vizinhos misteriosos e apartamentos claustrofóbicos são a fonte de todo o terror.

 

Compartilhe o post!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: