Desgraçamento Mental: 15 filmes que desestabilizam o psicológico de qualquer um

Sabe aquele sentimento de quando você assiste a um filme e durante os créditos finais seu único pensamento é “Eu não sei mais o que fazer da minha vida depois de ter presenciado isso”. Pois é, isso é o que eu chamo de Desgraçamento Mental. É muito provável que você já tenha se deparado com tal sentimento algumas vezes em sua vida de cinefilia, e, convenhamos, por mais que essa sensação destrua sua alma momentaneamente, ela é inesquecível, né?

No post de hoje trago 15 filmes que seguem essa linha de Desgraçamento Mental e não são necessariamente de terror. O primeiro lugar, por exemplo, ficou para um filme de drama que não precisa de violência gráfica ou sangue para desestabilizar seu psicológico. No entanto, alguns filmes da lista podem chocar o espectador pelo grau de violência elevado, mas fique tranquilo, pois deixarei um aviso naqueles que são extremamente violentos ou problemáticos para pessoas com estômago mais fraco.

15 – A Pele que Habito (2011)

Sinopse: Roberto Ledgard (Antonio Banderas) é um conceituado cirurgião plástico que vive com a filha Norma (Bianca Suárez). A garota possui problemas psicológicos devido ao suicídio de sua mãe, que após ter seu rosto completamente deformado em um acidente de carro, se jogou pela janela. O médico de Norma acredita que esteja na hora de ela volta a socializar com outras pessoas, o que faz com que se pai a leve para sair. No entanto, um imprevisto ocorre durante o passeio e leva Roberto a crer que sua filha foi estuprada. Para se vingar do criminoso, ele elabora um plano obscuro que pode trazer consequências desastrosas.

Por Que é Perturbador: O plano do médico para se vingar do suposto criminoso envolve detalhes que são no mínimo controversos. O filme contém algumas cenas de estupro que incomodam por seu teor realista e também perturba pela violência que se dá tanto pelos atos físicos quanto pelos diálogos subversivos.

14 – Laranja Mecânica (1971)

Sinopse: Em um futuro distópico, acompanhamos a jornada de Alex (Malcolm McDoweel), o líder de uma gangue de delinquentes que se diverte com roubos, assassinatos e estupros. Sua rotina muda quando cai nas mãos da polícia e recebe a opção de ser a cobaia em um programa que diminui seu tempo na cadeia. O programa, que supostamente deveria ajuda-lo, acaba destruindo completamente sua personalidade e o transforma em um organismo passivo impotente para lidar com a violência que o cerca.

Por que é Perturbador: Laranja Mecânica é um filme amplamente debatido e até hoje dita diretrizes do cinema devido ao seu caráter transgressor. A obra perturba pelas cenas desagradáveis de violência e estupro, mas acima de tudo por causa da transformação do protagonista, que se submete às vontades do Estado e acaba se tornando um ser catatônico, cuja existência distoa de todos os ideais que tivera em um passado não tão distante.

13 – Estômago (2007)

Sinopse: Raimundo Nonato (João Miguel) é um rapaz talentoso que veio do nordeste para Curitiba sem ter o que comer ou onde dormir. Com muita fome, ele para em um bar e pede duas coxinhas, mas sem dinheiro para pagar, acaba trabalhando para o dono do estabelecimento, que posteriormente lhe oferece um emprego e um cantinho para dormir. Talentoso como é, Raimundo Nonato acaba se destacando na região e atrai a atenção de algumas pessoas por ali, inclusive da prostitua Iria (Fabiula nascimento), por quem começa a se apaixonar.

Por que é Perturbador: Antes de qualquer coisa, gostaria de deixar claro que Estômago é um dos melhores filmes do cinema nacional contemporâneo, e quiçá, de todos os tempos. Quando digo que Estômago é perturbador, me refiro à natureza realista do filme, que evidencia a realidade do povo brasileiro que segue a vida sem grandes perspectivas e aceita qualquer oferta de trabalho por mais talentoso que seja. Outro ponto que devo destacar é como o filme consegue usar os elementos visuais para causar um nítido desconforto no espectador, e assim, anunciar logo nas primeiras cenas que algo muito ruim pode acontecer a qualquer minuto.

12 – Dogville (2003)

Sinopse: Grace (Nicolle Kidman) é uma desconhecida que aparece na pacata cidade de Dogville após escapar de um grupo de gângsters. A condição para que ela permaneça na cidade é que trabalhe para os moradores e após duas semanas seria realizada uma votação para decidir se ela poderia permanecer na cidade ou não. Após esse período, a votação é aprovada e Grace pode permanecer em Dogville, mas é a partir desse momento que percebe as intenções cruéis de seus moradores para com ela.

Por Que é Perturbador: Em Dogville, o diretor Las Von Trier atesta sua desesperança em relação à humanidade. Através de uma base filosófica consistente, o filme expõe de maneira articulada um resumo de todas as misérias humanas e as razões de nossos fracassos. A boa vontade e ingenuidade de Grace são consumidas gradativamente pelos habitantes da pequena cidade, elementos fundamentais para provar o principal ponto do diretor: o homem não é bom, sua natureza é perversa e sua existência é movida pela vontade de tirar vantagem de qualquer um que apresente o menor sinal de fraqueza. Ao longo da projeção, o uso de violência gráfica é quase mínimo, o que é realmente perturbador são as atitudes dos personagens, que na primeira oportunidade que lhes é dada mostram um lado obscuro que o espectador mais ingênuo jamais desconfiaria.

11 – El Topo (1970)

Sinopse: El Topo (Alejandro Jodorowsky), um pistoleiro que veste negro, inicia uma transformadora jornada pelo deserto. Lá ele desafia quatro mestres guerreiros, testemunha a violência brutal de um mundo sádico e cruel e se declara Deus. Topo é acompanhado pelo filho (Brontis Jodorowsky), que deve enterrar sua infância para tornar-se um homem.

Por que é Perturbador: El Topo é um filme metafórico que se utiliza de alegorias e simbolismos para desafiar o espectador a todo o momento. Ainda que seja filmado como Western Spaghetti, o caráter perturbador do filme não é proveniente de tiros ou duelos com armas; mas sim das paisagens oníricas, dos personagens bizarros e dos conceitos subversivos que permeiam o filme.

Dentre outras coisas, o leitor verá um homem sem braços carregando outro homem sem pernas, um mestre guerreiro que luta com uma rede de caçar borboletas e uma igreja onde o ritual consiste em um jogo de roleta-russa com os fiéis. Além disso, existe toda uma lenda por trás do filme proveniente das técnicas de filmagem não ortodoxas de Alejandro Jodorowsky. Rumores dizem que o cineasta fazia os atores experimentarem o sangue um do outro e constantemente expunha eles à a violência real. Segundo consta, o próprio Jodorowsky matou os 300 coelhos com as próprias mãos para uma cena do filme.

10 – Videodrome (1983)

Sinopse: Max Renn (James Woods), dono de uma pequena emissora de televisão a cabo, capta imagens de pessoas torturadas e mortas. Logo ele descobre que a transmissão se chama Videodrome, gerada em Pittsburgh, é muito mais que um mórbido show. Trata-se de um experimento que usa a televisão para alterar permanentemente as percepções das pessoas, causando sérios danos no cérebro.

Por que é Perturbador: David Cronenberg é um dos cineastas mais controversos em atividade. Sua filmografia se destaca por popularizar um estilo de horror intitulado de body horror, que consiste na transformação ou degeneração do corpo humano. Em Videodrome, o body horror é um elemento muito utilizado para dar o tom obscuro da obra, o que inclusive resultou na icônica cena onde o protagonista é absorvido pela televisão. A própria temática da obra em si já é bastante controversa. O conteúdo das transmissões de vídeo é algo realmente perturbador e mexe com nossa percepção ao evidenciar um lado podre da humanidade que infelizmente se perpetua no mundo real.

9 – Thriller: A Cruel Picture (1973)

Sinopse: Após ser severamente violentada na infância, uma garota inicia uma jornada em busca de vingança contra aqueles que a sequestraram e forçaram-na a trabalhar como prostituta no passado.

Por Que é Perturbador: Inspiração de Quentin Tarantino na criação de Kill Bill, Thriller: A Cruel Picture é um dos exploitations mais famosos dos anos setenta, fundamental para qualquer cinéfilo que deseja se aprofundar no universo do cinema extremo. Toda a atmosfera do filme é construída a partir de dois elementos principais: violência e sexo.

Ainda que as cenas de luta sejam bem básicas e estejam longe de ser chocantes, as cenas de sexo são as responsáveis por fazer o filme ser tão perturbador. Os “clientes” que vão visitar a garota são criaturas extremamente repugnantes e a posição submissa que ela exerce durante a etapa inicial da obra é realmente desconfortável. Thriller: A Cruel Picture possui toda uma áurea subversiva e doentia, pontuada por seu enredo repulsivo, cenas grotescas de violência e sexo explícito – um exemplar perfeito do exploitation em sua mais pura forma.

8 – Aniversário Macabro (1972)

Sinopse: Em seu aniversário de 17 anos, Mari Collingwood (Sandra Peabody) pede o carro de seus pais para ir a um show de rock com sua amiga Phyllis Stone (Lucy Grantham). Antes do show, porém, elas passam um bairro perigoso da cidade para comprar maconha e lá acabam seqüestradas por perigosos assassinos.

Por Que é Perturbador: O filme contém um alto nível de profanação e é indiscutivelmente feito para chocar. Não há um sentido metafórico ou a possibilidade de interpretações mais aprofundadas em relação a toda a violência exposta na obra; é apenas a violência retratada como ela é no mundo real, exposta de forma brutal e explícita pelo diretor Wes Craven. O filme não demora a mostrar seu lado perverso, bastam 15 minutos de projeção e já somos inseridos em uma atmosfera completamente desagradável, pautada pelas atrocidades que os criminosos cometem com as duras garotas que incluem violência sexual, física e muito, mas muito sadismo.

7 – Retrato de Um Assassino (1986)

Sinopse: Baseado na história do assassino Henry Lee Lucas, o filma acompanha a rotina de Henry (Michael Rooker) e seu parceiro Otis (Tom Towles), alterada desde a chegada da irmã do último, Becky (Tracy Arnold), que passa a morar no apartamento dividido pelos dois.

Por Que é Perturbador: Antes qualquer explicação, devo avisar a você, leitor, que este filme é extremamente violento e desconfortável, portanto assista a seu próprio risco. Uma experiência perturbadora até mesmo para o público mais acostumado aos filmes extremos, Retrato de Um Assassino exibe a violência de forma crua, da maneira mais realista possível: cruel, feia, suja e difícil de assistir. O baixo orçamento do filme não impede que ele seja responsável pelo Desgraçamento Mental de todos que tiveram contato com a obra. Não há romantização da violência nem heroísmo, apenas o retrato de almas perturbadas que vagam pelo mundo vivendo um vida regada à violência.

6 – Vá e Veja (1985)

Sinopse: Bielorrússia, 1943. O jovem camponês Florya (Aleksei Kravchenko) é cooptado por um despreparado grupo de guerrilheiros antinazistas. Em confronto com os alemães, o garoto é deixado para trás e decide retornar ao seu vilarejo. Chegando lá depara-se com o desolador cenário de um massacre. Perturbado, ele passa a vagar sem rumo, presenciando cenas cada vez mais fortes.

Por Que é Perturbador: Este é um filme de guerra diferente de tudo que você já viu. Ao contrário de outros filmes que seguem a mesma temática, Vá e Veja não faz questão de oferecer nenhum tipo de conforto ao espectador, ilustrando os horrores da guerra de uma forma tão realista que chega a ser perturbadora.

O protagonista vê soldados alemães regozijarem-se com seu sofrimento; bebendo, rindo e encontrando prazer na dor de suas vítimas. Pessoas são queimadas, pessoas gritam em desespero, pessoas imploram, e não há, nunca, nenhuma indicação de que exista qualquer possibilidade de misericórdia. Vá e Veja é uma obra de qualidade indiscutível e um dos melhores filmes de guerra da história do cinema, que consegue desestabilizar o psicológico de qualquer através de seu caráter avassalador que se dá através de um retrato perturbador da humanidade e todas as atrocidades causadas por ela.

5 – Réquiem Para um Sonho (2000)

Sinopse: Harry Goldfarb (Jared Leto) e Marion Silver (Jennifer Connelly) formam um casal apaixonado, que tem como sonho montar um pequeno negócio e viverem felizes para sempre. Porém, o vício em heroína faz com que ambos se coloquem em posições degradantes para sustentar seu estilo de vida. A mãe de Harry, Sara (Ellen Burstyn), sonha em aparecer no seu programa de televisão favorito e mantém a ilusão de que um dia conseguirá tal feito. Seu universo ilusório é agravado quando o médico lhe receita pílulas para emagrecer, nas quais acaba ficando viciada.

Por Que é Perturbador: Lembro-me de quando trabalhava na locadora e todos me recomendavam Réquiem Para um Sonho, dizendo que o filme era exatamente triste e perturbador. Resolvi dar uma chance e pronto, senti o baque do Desgraçamento Mental na hora. O drama de três pessoas pelas quais nós criamos empatia ao longo da projeção é devastador: eles entram em uma espiral de auto degradação que consome lentamente qualquer esperança de uma vida minimamente aceitável que eles esboçaram ter um dia.

Filmes que envolvem a temática junkie dificilmente são tão sensíveis e avassaladores quanto Réquiem Para um Sonho. O diretor Darren Aronofsky leva seus personagens até  as últimas consequências, ultrapassando os limites de qualquer outra produção que já havia abordado a questão da degradação pelas drogas. Quando digo que Réquiem Para um Sonho é um filme perturbador, não me refiro ao apelo feito pelas imagens, mas a uma camada mais espiritual do filme, que causa tanto incômodo devido à identificação inusitada entre o espectador e os personagens.

4 – A Serbian Film (2010)

Sinopse: Um ator pornô (Srdjan Todorovic) que está nos últimos anos de sua carreira enfrenta dificuldades para sustentar sua família. Com o intuito de reverter a situação, ele topa participar de um filme que envolve pedofilia, necrofilia e eventualmente sua própria morte.

Por Que é Perturbador: Este é disparado o filme mais extremo da lista, portanto se você for assistir esteja preparado para assistir a cenas extremamente perturbadoras. A temática narrativa por si só já é controversa e a impressão que se tem ao assistir a A Serbian Film é de que o filme foi feito com um único intuito: de chocar o espectador. Este é definitivamente um daqueles filmes que você assiste mais para saber do que todos os boatos se tratam do que pelo prazer da experiência cinematográfica. Existem diversos motivos que fazem de A Serbian Film um dos filmes mais perturbadores da história e explicar um por um renderia um artigo inteiro. Temas como pornografia, violência sexual e pedofilia são abordagens recorrentes da obra, cujo propósito, além de causar um desconforto sem igual, nunca ficam muito claros.

3 – Saló Ou Os 120 Dias de Soodoma (1977)

Sinopse: Em 1944, na cidade de Saló ocupada por nazistas, no norte da Itália, quatro fascistas sequestram um grupo de jovens saudáveis e os aprisionam em um palácio perto de Marzabotto. Na mansão vigiada por guardas, os fascistas vão cometer todo tipo de experiências com os jovens, que passam a ser usados como uma fonte de prazer sexual, masoquismo e morte.

Por Que é Perturbador: Os quatro poderosos que comandam a orgia organizada no castelo são a representação de instituições primordiais do Estado: o Duque, representando a nobreza; o Bispo, a Igreja; o Presidente, o Estado laico; o Magistrado, a corrupção e a parcialidade da Justiça. Suas intenções cruéis se traduzem em atitudes desprezíveis e completamente repulsivas, que se dividem em três ciclos: o Ciclo das Manias, Ciclo da Merda e o Ciclo do Sangue. Cada um deles representa uma fase das torturas cometidas pelos libertinos e envolvem todo o tipo de atrocidades imagináveis, desde obrigar os jovens a engolirem pregos até fazê-los comer as próprias fezes em um banquete de excrementos.

2 – Irreversível (2002)

Sinopse: Narrado de trás para frente, o filme conta a história de dois amigos (Vincent Cassel e Albert Dupontel) saindo pelo submundo de Paris à procura do homem que teria estuprado e espancado Alex (Monica Bellucci), a atual namorada de Marcus e ex-namorada de Pierre.

Por Que é Perturbador: Irreversível é o filme mais polêmico de Gaspar Noé, um dos cineastas mais controversos em atividade atualmente. Considerado um dos maiores expoentes da New French Extremity, o filme é capaz de desestabilizar psicologicamente o espectador através de um plot twist arrebatador e duas cenas que geram muita polêmica até hoje. Em uma delas, um crânio é amassado com um extintor; na outra, vemos a personagem de Monica Belucci ser estuprada por aproximadamente 10 minutos em um túnel de Paris. A sequência é filmada da maneira mais incômoda possível, utilizando ângulos e movimentos de câmera que evidenciam a brutalidade do ato e, por isso, é muito difícil de ser assistida. É uma daquelas sequências em que até aqueles mais familiarizados com a violência em filmes se sentem desconfortáveis e se veem obrigados a desviar o olhar da tela.

1 – Dançando no Escuro (2000)

Sinopse: Selma Jezkova (Björk) é uma imigrante do leste europeu que fora para a América em busca de condições para pagar a cirurgia de Gene (Vladica Kostic), seu único filho, que corre o risco de ficar cego caso não seja operado a tempo. A doença de seu filho fora herdada de seus próprios genes, mas para Selma, ela já se encontra em um estado irreversível. Apesar disso, ela mantém seu otimismo e trabalha à exaustão em uma fábrica para juntar o dinheiro necessário para pagar a cirurgia.

Por Que é Perturbador: A fábrica onde Selma trabalha é uma representação da crueldade e desumanização do modelo capitalista e os absurdos presentes na trama seriam a prova da falência das instituições legais e das autoridades do país. A trajetória da personagem, retratada no filme de uma forma cruel e sem atenuantes, na qual o melodrama choca mais do que emociona, constitui em si uma contundente crítica à uma organização social que menospreza e não dá voz para o fraco, na qual a xenofobia se sobrepõe ao compadecimento pelo sofrimento alheio.

Selma não é vítima apenas das pessoas que se aproveitam de sua condição, mas de todo um sistema, cujos tentáculos estão presentes em cada um dos meios com os quais ela tenta se relacionar. O final que o sistema reserva à Selma rende uma das cenas mais chocantes da história do cinema e encerra da forma mais realista possível a jornada da protagonista, tirando de nós qualquer esperança na humanidade ou esperança nos famigerados finais felizes.




Compartilhe o post!

  1. Lista desgraçada mesmo😁. Os únicos que eu vi foram o do Almodovar, o Laranja Mecânica e Requiem para um Sonho e demoraram muito pra sair da minha cabeça! Fiquei curiosa em relação aos outros filmes! Parabéns pelo post!👏👏👏

  2. Putz, geralmente esses filmes sem saída me deprimem muito. Acho que os mais bad da sua lista não vi. Laranja Mecânica mesmo já comecei a ver umas tres vezes e parei. Os que mais me desgraçaram a mente foram 3 q não estava esperando pela paulada: Para Sempre Lilya, Anjos do Sol e Vênus hotentote. Difícil de trabalhar… : (

    1. Nossa, eu só lembrei de Para Sempre Lilya dois dias depois que eu havia terminado o post, essa foi a única razão para ele não estar entre os quinze. Quanto aos outros dois, ainda não assisti, mas vou adicioná-los a lista.

  3. Um que me deixou mentalmente fragilizado foi : O Cubo. Acho que esse tambem merecia um lugar na lista😹😹😹😹😹. Quase enlouqueci com medo do filme ser verdade (e se OS Usa fizeram o Cubo do filme?) . 😿😿😿😿😿😿😿

  4. Obrigado pela dica, poderia incluir também o filme no qual Almodóvar e Billy Idol, se inspiraram. “Os olhos sem face” . Filme francês de terror, que chocou pela crueza das imagens e na forma fantasmagórica da personagem, que se utiliza de uma máscara, quase o filme todo.

  5. Muito boa lista! Todos os que eu assisti realmente me deixaram catatônico por uns dias.
    (Só um adendo: o Raimundo Nonato, de estômago, vai para Curitiba e não para São Paulo)

      1. hahaha acho que a ideia dos diretores foi criar algo que confundisse o espectador (pelo menos pra que a “cara” da cidade não influenciasse o entendimento da história) ele chega na rodoviária de Curitiba, mas depois aparece caminhando no Minhocão, o bar onde ele trabalha é em São Paulo, já o restaurante do italiano é na rua São Francisco (Curitiba), a rua das putas é a mesma, só que a quadra de baixo!
        Abraço xxx

  6. Amei a lista, eu vim tento a certeza de que Martyrs estaria nela, desgraçou a minha mente por completo, acho que nunca me senti tão mal ao assistir um filme.

  7. Ótima lista e bom para saber o q esperar mesmo… me fez lembrar também de Anticristo e Predestination… e talvez Oldboy e Amnésia podem se encaixar nesse segmento de desgraçamento mental tb hahahahahhaha

  8. Assisti vários da lista. Videdrome. Réquiem para um sonho, Dançando no escuro (o mais triste de todos) Laranja mecànica, o Cubo. Mas acho q filmes de terror abalam mais… O Iluminado , por exemplo, assisti só uma parte e parei. Não sei do final., mas é perturbador demais.

    1. Eu não acho que O Iluminado seja tão perturbador, é um ótimo filme de terror, mas passou longe de desgraçar minha mente. Acho que isso é bastante pessoal, geralmente eu já começo a assistir filmes de terror pronto pra ter minha cabeça bagunçada, então talvez eu tenha criado uma barreira que me impede de ficar abalado com esse gênero hahaha.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: